Tem algo errado, não?

Imagem

F1.com
O campeão da World Series by Renault, Kevin Magnussen/McLaren (foto), larga em quarto. O campeão da GP3, Daniil Kvyat/Toro Rosso, em oitavo. Cadê o campeão da GP2 que eu não to vendo no grid para o Grande Premio da Austrália?

Anúncios

A igreja glorificou de pé

Imagem

F1 Official App
A igreja glorificou de pé a segunda posição de Daniel Ricciardo no qualifying deste sábado, em Melbourne. A Igreja, neste caso, o autódromo urbano de Albert Park. O jovem australiano aproveitou das condições da pista no Q3 e registrou uma volta espetacular nos últimos segundos do treino com pneus intermediários, levantando os australianos presentes nas arquibancadas e a equipe Red Bull, reunida nos boxes. Pela vibração, acho que nem eles esperavam esse resultado.

O torcedor australiano é muito parecido com o Brasileiro. Explico: Ex-companheiros de equipe bem sucedidos tendem a ganhar a antipatia eterna da maioria dos conterrâneos – sabe aquele gostinho de vingança? Hoje, o autódromo delirou com a 13ª posição de Vettel no Q2, que durante anos, foi companheiro de equipe do australiano Mark Weber na Red Bull. O Galvão é outro mal resolvido. O Galvão Bueno, por exemplo, não desapega de ex companheiro de equipe. Vai passar toda temporada alimentando uma rivalidade Alonso x Massa. Foi assim com Rubinho e Schumacher. Neste caso, nem o brasileiro ainda desapegou.

Voltando ao treino, a chuva que caiu durante o Q2 e no Q3 embaralhou um pouco as coisas. Lá na frente, a lógica prevaleceu. A pole poisition de Lewis Hamilton confirmou a superioridade dos carros Mercedes sobre os demais. Seu companheiro de equipe, Nico Rosberg, abre a segunda fila, em terceiro.

Vale o registro #1: Seis dos oito motores Mercedes marcaram presença no Q3. Button (McLaren) e Perez (Force India) não conseguiram levar seus carros para parte final da classificação.

Vale o registro #2: Marcar presença entre os primeiros nos treinos livres é uma situação. A outra, é ter um carro confiável e rápido durante as corridas. Parece que a Red Bull resolveu parte dos problemas enfrentados na pré temporada, mas ainda é cedo pra dizer que estão sanados. O RB10 sofreu com superaquecimantos. O motor Renault também sofre com problemas de potência. Na última sessão no Bahrein, por exemplo, Vettel completou apenas 17 voltas durante um “long run”. Nas outras, o alemão voltou para os boxes com problemas. O jovem Ricciardo pouco andou, mas a previsão de chuva para a corrida pode colaborar com os rubrotaurinos.

Vale o registro #3: Desde a Bélgica 2012 que o Vettel fica de fora do Q3

Vale o registro #4: A Lotus vai pagando o preço de não ter participado dos testes em Jerez. É uma tragédia anunciada. Rumores indicam que a equipe não anda muito bem das pernas. Dívidas. A saída de engenheiros importantes, como Eric Boulier e o piloto Kimi Raikkonen agravaram a situação. Romain Grosjean reclama o tempo todo do comportamento do E22, inclusive pelo Team Radio. Já Maldonado, que brigou para sair da Williams, não conseguiu fechar tempo no qualifying. A tragédia da Lotus só não foi maior porque Gutierrez perdeu cinco posições no grid por troca de câmbio, evitando assim uma última fila com Maldonado e Grosjean. Que fase!

Daqui a pouco volto com mais pitacos.

O carro tem potencial #SQN

O inspiradíssimo responsável pelas redes sociais da equipe Lotus F1 merece um prêmio. Durante o terceiro Treino Livre, em Melbourne, o piloto Romain Gorsjean berrou pelo Team Radio que o seu carro estava HORRÍVEL. A Lotus não perdeu tempo e soltou essa impagável resposta pelo Twitter da equipe.

Ops, I’m a driver

Vídeo

O inglês Lewis Hamilton passou por uma cena inusitada durante a primeira sessão de treinos livres para o GP da Austrália. Seu carro, o bam bam bam da pré temporada, ficou parado na volta de instalação do FP1. Não completou uma voltinha sequer. O inglês pegou uma carona e, ainda de capacete, tentou acessar o paddock do circuito de Albert Park e acabou barrado na catraca pelo segurança. Sem parar, o Hamilton soltou um “I’m driver” para o rapaz que apenas cumpria seu trabalho. A cena foi engraçada, mas Lewis acabou perdendo 90 minutos de treino nesta sexta, o que não é ruim. Mesmo assim, o neguinho fechou a sexta com o melhor tempo do dia, cravando 1:29.625, 0,157 a frente de seu companheiro de equipe, o alemão Nico Rosberg. Ao que parece, a Mercedes é a equipe a ser batida na Austrália.

Pechincha Tupiniquim

20121122-161115.jpg
O jornalista Fábio Seixas sobre os valores cobrados pela EMBRATEL no fornecimento de Internet na sala de imprensa de Interlagos: “Um despropósito. Um absurdo. Um roubo. Um achaque.” Não entendeu tamanha revolta? Explico.

Durante os cinco dias de trabalho na cobertura do GP Brasil de F1, jornalistas estão desembolsando até 730 Dilmas por uma conexão a cabo de 1 mega. Por uma conexão WiFi de 2 mega – do qual só recebem 600 kbps, 170 Dilmas. Jornalistas estrangeiros garantem que essa é a Internet mais cara da temporada de F1. Vale ressaltar que em alguns circuitos, a conexão é de graça.

Ah, meu Brasil brasileiro…

Bruno Senna: Minha re-estréia foi 8,5

“I’d give myself eight and half out of 10”

Em entrevista ao site oficial da Formula 1, Bruno Senna faz uma análise sobre sua re-estréia na categoria. Se mostrou satisfeito em ter largado a frente de seu companheiro de equipe, Vitaly Petrov, e dos ex campeões mundiais Jenson Button e Fernando Alonso. Apesar do erro na primeira curva acabar com qualquer esperança de marcar pontos na etapa Belga, Bruno Senna, diz que o erro foi superado. Agora, o Brasileiro olha pra frente. Foca seu trabalho para este final de semana, no veloz circuito de Monza, na Itália. Confira na íntegra um pequeno Question & Answer com o Senna Sobrinho ao site F1.com.
Bruno Senna Q&A: I’d give myself eight and half out of 10 07 Sep 2011
    
Q: Looking back on the Belgian race, how happy were you with your weekend on a scale of one to 10?
Bruno Senna: In fairness I’d give it a eight and a half because apart from the two mistakes I made during the weekend, everything went smoothly. It certainly was not perfect because of my mistakes, but at the same time it was very encouraging and gave me great confidence to work hard with the team and to try and develop things further; it gave me a firm base for future development.
Q: So, you were able to forget about the mistake on the first corner and look at the bigger picture?
BS: Yes, of course. Mistakes happen, and what happened at the first corner potentially cost me points but what was paramount that weekend was to get some laps under my belt, and I did just that. I managed to complete the race, clock up many laps and familiarise myself with the car. The weekend gave me a good all-round experience.
Q: Did your success in qualifying set expectations too high?
BS: Naturally, when you do well in qualifying it raises the bar of expectation. Inside and outside the team, everybody was very happy with the qualifying and there was greater expectation for scoring points in the race. Having said that, I was the first one to point out that racing is very different to qualifying, and I wasn’t getting carried away. It was a step into the unknown, and in terms of performance it went really well but I need to polish up on my race craft, which is a bit rusty.
Q: Having a race under your belt must instil some confidence and help settle the nerves…
BS: Of course in Spa I didn’t know what to expect in terms of the competitiveness, but it was extremely encouraging that I managed to develop my pace quickly, and work with the team well. I have a strong working relationship with the engineers, and I am eager to get into the cockpit in Monza because I feel more confident heading into this race. As with any sport, miles on the clock and experience instil confidence in oneself.
Q: Monza is another well-respected circuit – what is your experience of it?
BS: I’ve known Monza since 2005, so I have been there every year apart from 2009. It’s a circuit where I’ve had a mixed bag of results. When I was younger, there were a few occasions when I didn’t have the right car set-up but I now understand the circuit much better. I’m a more mature driver now, and I’m confident we can achieve another top 10 qualifying and score more points.
Q: With the various driving experiences you’ve had this year, your relationship with the R31 must be growing closer…
BS: Exactly, I know the car much better now. I’m more familiar with the tendencies the car has, and I understand the direction we can take it. I’m looking forward to working closely with the engineers to devise solutions on where we can strengthen our approach.
Informou: CevadaBuster TM

Calendário 2012: Formula 1

Nos último dias acabei escrevendo sobre alguns assuntos e acabei esquecendo de comentar o Calendário divulgada pela FIA para 2012. Confira abaixo:
2012 FIA Formula One World Championship Calendar:
  • 18/03 Australia (Melbourne)
  • 25/03 Malaysia (Sepang)
  • 15/04 China (Shanghai)
  • 22/04 Bahrain (Sakhir)
  • 13/05 Spain (Catalunya)
  • 27/05 Monaco (Monte Carlo)
  • 10/06 Canada (Montreal)
  • 24/06 Europe (Valencia)
  • 08/07 Great Britain (Silverstone)
  • 22/07 Germany (Hockenheim)
  • 29/07 Hungary (Budapest)
  • 02/09 Belgium (Spa Francorchamps)
  • 09/09 Italy (Monza)
  • 23/09 Singapore (Sigapore)
  • 07/10 Japan (Suzuka)
  • 14/10 Korea (Yeongam)
  • 28/10 India (New Delhi)
  • 04/11 Abu Dhabi (Yas Marina Circuit)
  • 18/11 United States (Austin)
  • 25/11 Brazil (Interlagos)
Como não consigo ficar quieto, seguem alguns pitacos:
1. O melhor dos novos circuitos, ou melhor, Tilkódromos ficou realmente de fora do calendário. Titio Bernie Ecclestone sacou a Turquia do calendário porque queria 26 milhões de Obamas pela corrida. Os promotores, de cofres vazios, não tiveram para bancar. 
2. Após o cancelamento da etapa em 2011 devido conflitos regionais, o Bahrein está de volta ao calendário. na boa, não senti falta alguma do GP Barenita.
3. Continua o revezamento para o GP da Alemanha. Sai Nurburgring e volta a chata e mutilada pista de Hockenheim – Gostava tanto da Floresta Negra e seus retões…
4. Obama volta ao calendário com mais um Tilkódromo na F1. O circuito será em Austin, não na Baixada Fluminense, mas no Texas. 
5. Índia estréia na F1.
6. O que fazem os circuitos de Shanghai, Bharhein, Valencia e Abu Dhabi no Calendário? É a F1 sem a famosa e gostosa Curva 8. O que será que vão fazer com o Istambul Park ou Kurtkoy? 
7. E para finalizar: Mais uma vez o peso dos negócios sobrepõe o esporte.
Informou: CevadaBuster TM

#DRS Zone: Monza – Itália

Assim como nos GPs do Canadá, em Montreal e da Europa, em Valência – Espanha, a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) vai liberar duas zonas para utilização do Drag Reduction System (DRS), ou asa móvel, para os íntimos, para o próximo GP, em Monza, dia 11 de setembro. Mas dessa vez, as zonas de ultrapassagens serão em locais independentes: a  reta dos boxes e no trecho entre a Segunda di Lesmo e a Variante Ascari, conforme ilustração abaixo.
Duas zonas de ultrapassagens independentes em Monza
Os pilotos da Mclaren e o chefe Martin Whitmarsh estão animados com as duas zonas de utilização da Asa Móvel no velocíssimo circuito Italiano. Promessa de uma corrida muito movimentada como já assistimos em outras edições. Particularmente, não gosto muito do DRS. Acho a utilização desse sistema uma covardia com o piloto que está a frente. O Kers e os Pneus Pirelli já seriam suficientes para tornar as corridas mais competitivas. Mas como na Formula 1 atual, o esporte fica em segundo plano…

Informou: CevadaBuster TM
 

O Alerta de Barrichello

Luz amarela para temporada 2012 de Barrichello na F1
“Penso neste momento que, mesmo que a Williams tenha problemas financeiros, deveria continuar com o que tem agora: um piloto experiente e motivado, e outro jovem e em desenvolvimento // Alinhar com dois garotos no próximo ano é a decisão mais errada a se tomar. Estou esperando. Não posso oferecer mais do que isso” 
O assunto do dia é sobre o futuro de Rubens Barrichello. Informações que pingam na web mostram a mudança de comportamento do piloto brasileiro nos últimos dias. A última, as aspas que iniciaram esse post, mostram um piloto pressionado por ainda não ter um cockpit para 2012. Barrichello está insatisfeito com desempenho da equipe e critica a temporada ruim da Williams – somou somente 5 pontos até a Bélgica, quatro com o piloto Brasileiro em doze etapas.

Nos últimos dias, o Twitter da equipe de Grove – @WilliamsF1Team não menciona ao que acontece com Rubens tanto quanto destaca o Venezuelano Pastor Maldonado. O que parecia definido na vida de Barrichello para 2012, hoje, nuvens negras rondam sobre o Brasileiro. Uma saída da Williams, fará com que o piloto ande para trás no grid ou que encerre sua carreia na F1 e procure novos ares.
E pra finalizar, pensem comigo: Pode ser uma enorme coincidência, mas justamente na semana onde Bruno Senna conseguiu descolar dois fortes patrocinadores e garantir uma vaga na Lotus Renault que Rubens joga na imprensa que será um erro a Williams substituí-lo por um piloto jovem que leve patrocínio. Sei…
Realmente, o alerta de Rubens Barrichello diz muita coisa.

Informou: CevadaBuster TM

Gridwalk com Martin Brundle – Bélgica

A BBC sempre manda muito bem na cobertura televisa do Mundial de Fórmula 1. Seja com seus narradores, time de comentaristas, vinhetas e matérias especiais. Minutos antes de cada Grande Prêmio, a emissora exibe, ao vivo, o GridWalk, quadro em que o ex-piloto Martin Brundle (51), “leva” os telespectadores a um passeio bem informal pelo grid, com entrevistas de improviso, mas bem interessantes, abordando celebridades e pilotos da categoria. Neste final de semana em Spa Francorchamps, até Eric Clapton participou da “caminhada”. (Confira no vídeo acima).
Pena que aqui no Brasil, a emissora que detém os direitos de transmissão da F1, inicia a transmissão somente cinco minutos antes de cada GP, não tendo tempo hábil para exibição de matérias especiais e quiçá, a exibição de um “Gridwalk” com Carlos Gil e os Brazucas. Já vimos na Globo matérias excelentes sobre pilotos e a categoria, mas somente quando há interrupção de treino ou corrida. Essas matérias de gaveta deveriam fazer parte das transmissões como faz a BBC.
Enfim. Gridwalk, a gente não vê por aqui. Somente no You Tube!

Informou: CevadaBuster TM

#BBC: Schumacher 20 anos

O GP da Bélgica deste final de semana marcou os 20 anos da estreia de Michael Schumacher na Fórmula 1. Correndo em Spa Spa-Francorchamps, pela belíssima Jordan 191 verde. No seu primeiro GP, classificou-se em sétimo lugar no grid, 0s7 a frente do experiente companheiro de equipe, o italiano Andrea de Cesaris.
Foram muitas homenagens ao heptacampeão neste final de semana em Spa. A mais bacana para os telespectadores, foi o pré race exibido pela BBC. Imagens e depoimentos de pessoas que fizeram parte desses 20 anos com o heptacampeão na Fórmula 1. Homenagem mais que justa ao grande Miguel, que por sinal, fez uma corrida sensacional no domingo. Largou em último e terminou em 5º, passando muita gente, inclusive seu companheiro de equipe Nico Rosberg. Mais uma para o arquivo!

Informou: CevadaBuster TM

Da La Source à Bus Stop – Isso é Spa

Luis Fernando Ramos, o grande Ico, sempre costuma encarar uma volta correndo nos circuitos da temporada de Fórmula 1. Como cobre a F1 in loco para diversas mídias, neste final de semana na Bélgica, Ico desbravou, conforme sua definição, o Majestoso circuito de Spa Francorchamps e seus 7 quilômetros de retas, cruvas e um relevo pra lá de especial, que mereceu um post, de leitura obrigatória, em seu blog no site Total Race.
Durante o percurso, Ico registrou uma imagem digna de quadro para os amantes da velocidade, o que permitiu ao gordinho aqui, uma descoberta alucinante: Do alto da Rivage da pra ver a Nova Bus stop! Putz, que relevo… Imagine o que deve ser acelerar um F1 nessa ladeira?! Perfeito. (Clique na foto para ampliar).

Durante a leitura do Post, uma outra descoberta: “a curva que convencionamos chamar de “Eau Rouge” é apenas a parte baixa, a primeira perna daquele enorme ‘S’ que começa numa compressão – onde Mark Webber se espremeu para passar Fernando Alonso na corrida. A partir do momento em que a elevação começa, a curva se chama Raidillon.”
Vivendo e aprendendo… Deve ser algo mágico, uma volta em Spa Francorchamps. Assim como o Ico, quem sabe um dia, consigo assassinar o sedentário que existe dentro de mim.

>>> Luis Fernando Ramos é Repórter de Fórmula 1 do Grupo Bandeirantes de Rádio, do diário Lance e da revista Racing. Apreciador de boa música, viagens e velocidade. Guitarrista amador, corredor de rua e piloto virtual. Colunista do TotalRace.



Informou: CevadaBuster TM

"Ainda sou um piloto vencedor"



A foto acima contrasta com o título desse post. Mas já adianto que a intenção foi exatamente essa. Veja só: Em entrevista ao Jornal Espanhol EL País, Felipe Massa admitiu que o espanhol Fernando Alonso vive um melhor momento na temporada e que garante ser o mesmo piloto de antes do acidente na Hungria, em 2009.


“Não mudei nada. Continuo exatamente o mesmo. É verdade que eu não consegui os resultados desde então, mas tenho a mesma ambição e determinação. O acidente e meu primeiro filho me deram muita experiência.”


No mundial 2011, Fernando Alonso tem quase o dobro de pontos que o brasileiro (157 à 74). Nas Classificações, outra goleada (10 à 2).


“Fernando foi melhor do que eu nesta área. Estou trabalhando para mudar esta situação, mas, em todo caso, não fui exatamente lento. Ainda sou um piloto vencedor. Se eu não pensasse isso, iria para casa.”


A pergunta que muitos me fazem na rua é a seguinte: O que acontece com Massa? O verdadeiro é aquele de 2008 ou será que é o de 2011?


Bem, se o Felipe acha que continua o mesmo, o piloto rápido e competitivo como 2008, só tenho a lamentar, meu caro. Acho que o acidente na Hungria em 2009 foi o divisor de água em sua carreira. Para se ter uma idéia, sua última vitória foi no GP Brasil de 2008, no qual perdeu o título para Black Hamilton na última curva.


Em 2011, o brasileiro faz uma péssima temporada. Neste final de semana na bélgica, saiu em 4º, terminou em 8º. Alonso saiu em 8º, terminou em 4º. Colocou a culpa nos pneus macios.


“Com pneu médio, o carro se comportou muito melhor e eu consegui pilotar nas últimas 12 voltas do jeito que o carro podia.”


Ah, ok. Então ele e a equipe jogaram as primeiras 32 voltas no lixo? Conta outra, fariseu! Mas o brasileiro insiste que nada mudou em sua carreira… Bem, está mais do que na hora de seu Engenheiro de corrida, Rob Smedley inflamar pelo Team radio da Ferrari #6 a seguinte frase: Massa, everybody is Faster than you! Confirm you understand this message?!

Me vejo obrigado a continuar disseminando minha hastag favorita de 2011: #MassaBundao



Informou: CevadaBuster TM


O garoto bom de negócio

No Globoesporte.com de hoje, a seguinte manchete: “Na estreia, Bruno Senna já leva dois patrocinadores para a Renault-Lotus”. Desde a divulgação de Eddie Jordan, na última semana à BBC, que o piloto brasileiro ocuparia vaga do alemão Nick Heidfeld na equipe Anglo-Francesa, o ex chefe de equipe garantiu que Bruno levaria milhões de Libras em patrocínios à equipe. Dito e feito.


Procurada pela reportagem do portal, a assessoria do piloto confirmou o acerto com a EBX (por meio da petrolífera OGX) de Eike (no carro, macacão e capacete), e com a Procter & Gamble, que vai estampar a marca Gillette. No último domingo, as marcas já estavam nos dois carros da Renault-Lotus para a corrida em Spa-Francorchamps.


Essa foi a primeira prova de Bruno Senna pilotando um carro de Formula 1 em uma corrida desde o Grande Prêmio do Brasil de 2010, quando ele disputava a temporada na fraca equipe Hispania, ou HRT para Rede Globo. Largando na sétima posição, Bruno errou o ponto de freada na Source, primeira curva do circuito belga, e acabou colidindo com o espanhol da Toro Rosso, Jaime Alguersuari, o que comprometeu sua corrida, já que foi obrigado trocar o bico e, posteriormente, recebeu um drive through.


Como piloto pagante, ou não, cabe Bruno Senna mostrar que sua vaga na Lotus-Renault não se deve apenas aos milhões de libras de seus patrocinadores. A equipe, desmotivada pelo desempenho de Nick Heidfeld, bancou a promoção do brasileiro. O Alemão ainda briga na justiça pelo seu retorno ao time, já que seu contrato garante sua posição de titular até o fim de 2011, fato este contestado pelo time.


Enquanto isso, Bruno Senna, garantido até o próximo Grande prêmio da Itália, em Monza, mostra que tem potencial para comprovar que tem qualidades, e que seu posto de piloto pagante, nem de longe se compara aos desastres como Karun Chandhok, Narain Karthikeyan, Sakon Yamamoto e Yuji Ide, como exemplos.


Vale lembrar que Fernando Alonso entrou como piloto pagante na F-1. Lembram da Minardi – amarelo marca texto com o patrocínio da Tefefônica? Dos atuais pagantes na F1, Vitaly Petrov e Pastor Maldonado são pra lá de razoáveis, enquanto Sergio Perez, apesar de louco, esse sim, é muito promissor.


Informou: CevadaBuster TM

A Foto

Uma imagem diz mais que mil palavras, mil imagens dizem mais ainda.
Essa foto resume a felicidade que deve estar o Nelsinho.

Sorriso aberto, merece todos elogios!

Fico com a frese do Nick Lauda: “Perfeita. E bom para ele, porque o pobre garoto estava com muita pressão sobre ele e não vinha correndo bem. Hoje (domingo), o segundo lugar foi o melhor que poderia ter acontecido para ele. Dá a ele confiança e o permite trabalhar em cima disso”

Informou: Cevada Buster TM

Uma perguntinha

Quando titio Bernie nos dará o prazer de ver a Formula 1 em Laguna Seca?

Um circuito de verdade, com um relevo interessantíssimo e uma curva para poucos !!!

Não esses kartódromos Tilkeanos que abrigam a F1 atual.

Uma pena.

Informou: Cevada Buster TM

Show de Hamilton, dia de Nelsinho

Em Hockenheim, vitória singular da Mclaren.

A equipe de Ron Denis dominou todo o final de semana e Hamilton foi impecável durante o GP.
A corrida do inglês estava sonolenta, tranquila, até que a suspensão traseira direita da Toyota do Alemão Timo Glock quebrou e como passageiro acertou o muro interno de proteção da reta dos boxes na volta 35.

Santo acidente.

Com detritos na pista, o Safety Car entrou em cena e mudou toda corrida. A McLaren não chamou Hamilton para os boxes para fazer o segundo pit stop, como fizera a maioria. O inglês continuou líder até a volta 50, onde parou e retornou à pista em 4º. Nelsinho que havia parado segundos antes, tambem permaneceu na pista.

Hamilton voltou feroz a pista. Ultrapassou seu companheiro Heikki e depois foi com tudo pra cima do brasileiro Felipe Massa, que com problemas no freio não ofereceu muita resistência a Lewis.

Continuou sua escalada e ultrapassou Nelsinho para re-assumir a liderança da prova. Espetacular.

O novato da Renault, apesar de toda a pressão, conseguiu se manter constante até o final. Liderou a prova por algumas voltas e inteligentemente deixou Lewis passar. Com misto de sorte, competência e estratégia, Nelsinho subiu ao pódio pela primeira vez em sua curta carreira na F1.

Raikkonen terminou o GP na sexta posição e a está em terceiro no mundial de pilotos com 51 pontos, atrás de Massa, 54 e Lewis com 58.

Próxima etapa será na Hungria, no travadíssimo circuito de Hungaroring. Lá, largar na frente é fundamental. Esse mundial 2008 está espetacular e não arriscarei palpite para esse próximo GP.

Alguem arrisca?

Informou: Cevada Buster TM

F1 LiveStream

Hoje, pela manhã, vi a segunda sessão dos treinos livres do Grande Prêmio da Alemanha pelo live feed da iTV inglesa via internet. Aqualidade de som e imagem são impressionantes, sem falar que a transmissão é em formato widescreen.

Nela, não há narração, locutor, nem comentarista. Apenas o som dos motores, dos mecânicos nos boxes, dos pilotos conversando com os mecânicos, das comunicações via rádio entre os pilotos e os seus engenheiros de corrida e também dos alto falantes do próprio circuito ecoando pela pista em inglês. Em outra tela do meu desktop eu tenho o live timing com o tempos de cada piloto in loco, com os tempos e parciais de cada piloto in loco e simultâneo, disponibilizado pelo site Formula1.com

Que me desculpem vocês que adoram o Galvão Bueno e acham que ele trás emoção a uma transmissão de Formula 1.
Com essa experiência que eu estou tendo nesse momento eu definitivamente cheguei à conclusão de que Galvão Bueno não faz nada a não ser atrapalhar uma transmissão de Formula 1.

Galvão atrapalha as valiosas e escassas análises de Luciano Burti. O ex piloto de testes da Ferrari é um privilégio que deveria ser mais explorados em prol dos telespectadores. Galvão é por vezes grosseiro com Reginaldo Leme, um dos melhores e mais ponderados comentaristas de automobilismo no Brasil.

Caso você, leitor costumeiro ou mesmo você que esbarrou nesse texto por acaso, esteja lendo, eu suponho que tenha Internet em banda larga em casa. Se a tem, faça o que eu fiz hoje e livre-se definitivamente de Galvão Bueno. O kit anti-Galvão, com os links, está abaixo. Experimente!

A Formula 1 sem Galvão Bueno jamais será a mesma para você novamente e eu lhe garanto que seré bem melhor.

SERVIÇOS

O sinal da iTV ao vivo:
http://stream.ra1kkonen.com/

Parciais com os tempos dos pilotos (é necesserário registro):
www.formula1.com/services/live_timing/

Comentários ao vivo, do site da AUTSPORT:
http://live.autosport.com/

Informou: Cevada Buster TM

You Tube Mania

Essa foi demais.

Resumo completo do Grande Prêmio da Alemanha de 2000. Primeira vitória de Rubens Barrichello na F1.

A Corrida foi movimentadíssima. Rubens largou em 18º, Schumacher ficou na primeira curva, invasão de pista, safety car, chuva…

Mas o dia era de Barrica, que assumiu a responsabilidade de continuar na pista com pneus de pista seca, enquanto Ross Brown insistia para que Rubens trocasse os pneus, como fizera os demais.

Video bacana para relembrar os bons tempos dos saudáveis motores V-10 e do antigo traçado do circuito alemão de Hockeimheim, mutilado em 2002 por Herman Tilke.

Vale o ingresso. E Pra quem é fã do Rubens como eu e Ferrarista nato, esse GP é pra ficar na história.

Informou: Cevada Buster TM

Próximo Round – Alemanha


  • Race Date: 20 Jul 2008
  • Number of Laps: 67
  • Circuit Length: 4.574 km
  • Race Distance: 306.458 km
  • Lap Record: 1:13.780 – K Raikkonen (2004)

Informou: Cevada Buster TM