Bruno Senna: Minha re-estréia foi 8,5

“I’d give myself eight and half out of 10”

Em entrevista ao site oficial da Formula 1, Bruno Senna faz uma análise sobre sua re-estréia na categoria. Se mostrou satisfeito em ter largado a frente de seu companheiro de equipe, Vitaly Petrov, e dos ex campeões mundiais Jenson Button e Fernando Alonso. Apesar do erro na primeira curva acabar com qualquer esperança de marcar pontos na etapa Belga, Bruno Senna, diz que o erro foi superado. Agora, o Brasileiro olha pra frente. Foca seu trabalho para este final de semana, no veloz circuito de Monza, na Itália. Confira na íntegra um pequeno Question & Answer com o Senna Sobrinho ao site F1.com.
Bruno Senna Q&A: I’d give myself eight and half out of 10 07 Sep 2011
    
Q: Looking back on the Belgian race, how happy were you with your weekend on a scale of one to 10?
Bruno Senna: In fairness I’d give it a eight and a half because apart from the two mistakes I made during the weekend, everything went smoothly. It certainly was not perfect because of my mistakes, but at the same time it was very encouraging and gave me great confidence to work hard with the team and to try and develop things further; it gave me a firm base for future development.
Q: So, you were able to forget about the mistake on the first corner and look at the bigger picture?
BS: Yes, of course. Mistakes happen, and what happened at the first corner potentially cost me points but what was paramount that weekend was to get some laps under my belt, and I did just that. I managed to complete the race, clock up many laps and familiarise myself with the car. The weekend gave me a good all-round experience.
Q: Did your success in qualifying set expectations too high?
BS: Naturally, when you do well in qualifying it raises the bar of expectation. Inside and outside the team, everybody was very happy with the qualifying and there was greater expectation for scoring points in the race. Having said that, I was the first one to point out that racing is very different to qualifying, and I wasn’t getting carried away. It was a step into the unknown, and in terms of performance it went really well but I need to polish up on my race craft, which is a bit rusty.
Q: Having a race under your belt must instil some confidence and help settle the nerves…
BS: Of course in Spa I didn’t know what to expect in terms of the competitiveness, but it was extremely encouraging that I managed to develop my pace quickly, and work with the team well. I have a strong working relationship with the engineers, and I am eager to get into the cockpit in Monza because I feel more confident heading into this race. As with any sport, miles on the clock and experience instil confidence in oneself.
Q: Monza is another well-respected circuit – what is your experience of it?
BS: I’ve known Monza since 2005, so I have been there every year apart from 2009. It’s a circuit where I’ve had a mixed bag of results. When I was younger, there were a few occasions when I didn’t have the right car set-up but I now understand the circuit much better. I’m a more mature driver now, and I’m confident we can achieve another top 10 qualifying and score more points.
Q: With the various driving experiences you’ve had this year, your relationship with the R31 must be growing closer…
BS: Exactly, I know the car much better now. I’m more familiar with the tendencies the car has, and I understand the direction we can take it. I’m looking forward to working closely with the engineers to devise solutions on where we can strengthen our approach.
Informou: CevadaBuster TM
Anúncios

Gridwalk com Martin Brundle – Bélgica

A BBC sempre manda muito bem na cobertura televisa do Mundial de Fórmula 1. Seja com seus narradores, time de comentaristas, vinhetas e matérias especiais. Minutos antes de cada Grande Prêmio, a emissora exibe, ao vivo, o GridWalk, quadro em que o ex-piloto Martin Brundle (51), “leva” os telespectadores a um passeio bem informal pelo grid, com entrevistas de improviso, mas bem interessantes, abordando celebridades e pilotos da categoria. Neste final de semana em Spa Francorchamps, até Eric Clapton participou da “caminhada”. (Confira no vídeo acima).
Pena que aqui no Brasil, a emissora que detém os direitos de transmissão da F1, inicia a transmissão somente cinco minutos antes de cada GP, não tendo tempo hábil para exibição de matérias especiais e quiçá, a exibição de um “Gridwalk” com Carlos Gil e os Brazucas. Já vimos na Globo matérias excelentes sobre pilotos e a categoria, mas somente quando há interrupção de treino ou corrida. Essas matérias de gaveta deveriam fazer parte das transmissões como faz a BBC.
Enfim. Gridwalk, a gente não vê por aqui. Somente no You Tube!

Informou: CevadaBuster TM

#BBC: Schumacher 20 anos

O GP da Bélgica deste final de semana marcou os 20 anos da estreia de Michael Schumacher na Fórmula 1. Correndo em Spa Spa-Francorchamps, pela belíssima Jordan 191 verde. No seu primeiro GP, classificou-se em sétimo lugar no grid, 0s7 a frente do experiente companheiro de equipe, o italiano Andrea de Cesaris.
Foram muitas homenagens ao heptacampeão neste final de semana em Spa. A mais bacana para os telespectadores, foi o pré race exibido pela BBC. Imagens e depoimentos de pessoas que fizeram parte desses 20 anos com o heptacampeão na Fórmula 1. Homenagem mais que justa ao grande Miguel, que por sinal, fez uma corrida sensacional no domingo. Largou em último e terminou em 5º, passando muita gente, inclusive seu companheiro de equipe Nico Rosberg. Mais uma para o arquivo!

Informou: CevadaBuster TM

Da La Source à Bus Stop – Isso é Spa

Luis Fernando Ramos, o grande Ico, sempre costuma encarar uma volta correndo nos circuitos da temporada de Fórmula 1. Como cobre a F1 in loco para diversas mídias, neste final de semana na Bélgica, Ico desbravou, conforme sua definição, o Majestoso circuito de Spa Francorchamps e seus 7 quilômetros de retas, cruvas e um relevo pra lá de especial, que mereceu um post, de leitura obrigatória, em seu blog no site Total Race.
Durante o percurso, Ico registrou uma imagem digna de quadro para os amantes da velocidade, o que permitiu ao gordinho aqui, uma descoberta alucinante: Do alto da Rivage da pra ver a Nova Bus stop! Putz, que relevo… Imagine o que deve ser acelerar um F1 nessa ladeira?! Perfeito. (Clique na foto para ampliar).

Durante a leitura do Post, uma outra descoberta: “a curva que convencionamos chamar de “Eau Rouge” é apenas a parte baixa, a primeira perna daquele enorme ‘S’ que começa numa compressão – onde Mark Webber se espremeu para passar Fernando Alonso na corrida. A partir do momento em que a elevação começa, a curva se chama Raidillon.”
Vivendo e aprendendo… Deve ser algo mágico, uma volta em Spa Francorchamps. Assim como o Ico, quem sabe um dia, consigo assassinar o sedentário que existe dentro de mim.

>>> Luis Fernando Ramos é Repórter de Fórmula 1 do Grupo Bandeirantes de Rádio, do diário Lance e da revista Racing. Apreciador de boa música, viagens e velocidade. Guitarrista amador, corredor de rua e piloto virtual. Colunista do TotalRace.



Informou: CevadaBuster TM