Mimimi Brasilis

Imagem

O desespero de ver brasileiro na frente é tão grande que as pessoas não conseguem enxergar o óbvio: Alonso é o melhor piloto do grid. Começo o post entrando de sola naqueles que ainda acreditam que a Ferrari vai dar tratamento igual entre Alonso e Massa dentro da pista. Na boa, esquece.

Alonso é o primeiro piloto e bicampeão do mundo. Massa, tem um vice campeonato (2008). Ponto final. Só isso já já bastaria como justificativa. Mas no Brasil e para Galvão Bueno, quem corre contra brasileiro na F1, transforma-se no inimigo da nação. Com Alonso a coisa é pior, principalmente depois de dois “escândalos” contra pilotos brasileiros: em 2008 com Nelsinho Piquet – o famoso Cingapuragate e em 2010, em Hockenheim, na Alemanha, com o famoso “Alonso is faster than you”.

Se o Massa estivesse disputando posição com o espanhol e este entrou nos boxes, ele deveria ter entrado logo depois. É o velho jogo de marcação. Com estratégias iguais, a chance de continuarem na mesma posição são bem maiores. Isso é lógico. Mas o Massa ficou na pista quatro voltas a mais. Deu no que deu.

E para finalizar essa discussão, cabe um registro: todos as paradas de box de Felipe Massa foram mais rápidos que os do Alonso. A informação está aqui. Bingo!

Voltando para o GP da Austrália, Alonso se fez valer da estratégia de antecipar seu segundo pit para ganhar as posições de Felipe Massa e Sebastian Vettel. Terminou na segunda colocação e empolgado com o carro, soltou no rádio para seu engenheiro em Italiano: “Sim, nós estamos na briga”.

Já Felipe, mostrou ser um outro piloto e vai incomodar em 2013. Para isso, deverá se impor. Como disse no post anterior, Massa sabe que adotar o discurso de derrotar Fernando Alonso será um erro grave e isso pode comprometer a sua temporada. Mas sai de Melbourne com um retrospecto razoável: das onze vezes em que disputou o GP da Austrália, Massa completou apenas quatro… e nenhum pódio!

Anúncios