Tem algo errado, não?

Imagem

F1.com
O campeão da World Series by Renault, Kevin Magnussen/McLaren (foto), larga em quarto. O campeão da GP3, Daniil Kvyat/Toro Rosso, em oitavo. Cadê o campeão da GP2 que eu não to vendo no grid para o Grande Premio da Austrália?

A igreja glorificou de pé

Imagem

F1 Official App
A igreja glorificou de pé a segunda posição de Daniel Ricciardo no qualifying deste sábado, em Melbourne. A Igreja, neste caso, o autódromo urbano de Albert Park. O jovem australiano aproveitou das condições da pista no Q3 e registrou uma volta espetacular nos últimos segundos do treino com pneus intermediários, levantando os australianos presentes nas arquibancadas e a equipe Red Bull, reunida nos boxes. Pela vibração, acho que nem eles esperavam esse resultado.

O torcedor australiano é muito parecido com o Brasileiro. Explico: Ex-companheiros de equipe bem sucedidos tendem a ganhar a antipatia eterna da maioria dos conterrâneos – sabe aquele gostinho de vingança? Hoje, o autódromo delirou com a 13ª posição de Vettel no Q2, que durante anos, foi companheiro de equipe do australiano Mark Weber na Red Bull. O Galvão é outro mal resolvido. O Galvão Bueno, por exemplo, não desapega de ex companheiro de equipe. Vai passar toda temporada alimentando uma rivalidade Alonso x Massa. Foi assim com Rubinho e Schumacher. Neste caso, nem o brasileiro ainda desapegou.

Voltando ao treino, a chuva que caiu durante o Q2 e no Q3 embaralhou um pouco as coisas. Lá na frente, a lógica prevaleceu. A pole poisition de Lewis Hamilton confirmou a superioridade dos carros Mercedes sobre os demais. Seu companheiro de equipe, Nico Rosberg, abre a segunda fila, em terceiro.

Vale o registro #1: Seis dos oito motores Mercedes marcaram presença no Q3. Button (McLaren) e Perez (Force India) não conseguiram levar seus carros para parte final da classificação.

Vale o registro #2: Marcar presença entre os primeiros nos treinos livres é uma situação. A outra, é ter um carro confiável e rápido durante as corridas. Parece que a Red Bull resolveu parte dos problemas enfrentados na pré temporada, mas ainda é cedo pra dizer que estão sanados. O RB10 sofreu com superaquecimantos. O motor Renault também sofre com problemas de potência. Na última sessão no Bahrein, por exemplo, Vettel completou apenas 17 voltas durante um “long run”. Nas outras, o alemão voltou para os boxes com problemas. O jovem Ricciardo pouco andou, mas a previsão de chuva para a corrida pode colaborar com os rubrotaurinos.

Vale o registro #3: Desde a Bélgica 2012 que o Vettel fica de fora do Q3

Vale o registro #4: A Lotus vai pagando o preço de não ter participado dos testes em Jerez. É uma tragédia anunciada. Rumores indicam que a equipe não anda muito bem das pernas. Dívidas. A saída de engenheiros importantes, como Eric Boulier e o piloto Kimi Raikkonen agravaram a situação. Romain Grosjean reclama o tempo todo do comportamento do E22, inclusive pelo Team Radio. Já Maldonado, que brigou para sair da Williams, não conseguiu fechar tempo no qualifying. A tragédia da Lotus só não foi maior porque Gutierrez perdeu cinco posições no grid por troca de câmbio, evitando assim uma última fila com Maldonado e Grosjean. Que fase!

Daqui a pouco volto com mais pitacos.

O carro tem potencial #SQN

O inspiradíssimo responsável pelas redes sociais da equipe Lotus F1 merece um prêmio. Durante o terceiro Treino Livre, em Melbourne, o piloto Romain Gorsjean berrou pelo Team Radio que o seu carro estava HORRÍVEL. A Lotus não perdeu tempo e soltou essa impagável resposta pelo Twitter da equipe.

Galvanices #1

Imagem

Galvanices #1

Vocês estão preparados psicologicamente para as explicações de Mr. Galvão Bueno sobre as mudanças da temporada 2014 da Fórmula 1? Pela quantidade de informação (regulamento técnico, inovações tecnológicas e movimentação de pilotos) minha previsão é que o Galvão termine as explicações somente no mês maio, durante o Grande Prêmio de Mônaco, sexta etapa do mundial de F1. Neste final de semana teremos o primeiro round de Galvanices: a classificação, na madrugada de sábado, às 3h, e domingo, no mesmo horário, a corrida. Reserve a sua cerveja gelada e tenha horas de risos com o narrador. E aí, preparado? Qual a sua aposta?

Atualização #1: Sobre o ronco dos motores, o Galvão Bueno vai tentar puxar a sardinha para o saudosismo, falando da semelhança dos som dos motores dos carros que Ayrton Senna e Nelson Piquet pilotavam nos anos 80.

Melbourne: Treino Livre 2

Imagem

F1 2014 Official App

Melbourne: Treino Livre 1

Imagem

F1 2014 Oficial App

E se não sobrar ninguém?

SkySportsF1.comDurante a “Press Conference” de ontem (12), em Melbourne, fizeram a seguinte pergunta ao Charlie Whiting (foto), diretor técnico da FIA: “o que vai acontecer se não sobrar nenhum carro na pista?” A resposta, simples: “A corrida acaba”. Mas isso não vai acontecer. Haverá muitos abandonos mas não chegaremos ao caos. Minha grata surpresa será ver algum motor Renault cruzar a linha de chegada ao final do GP. Vale lembrar que Sebastian Vettel não conseguiu fazer um “long run” superior a 20 voltas durante a pré temporada. A matéria na íntegra você acompanha aqui.

Serviço: GP da Austrália 2014

Fonte: Formula 1 App Aos amigos de plantão, segue a programação do GP da Austrália, primeira etapa do mundial de 2014 de Fórmula 1. Como os caras estão do outro lado do mundo, hoje a “noite” (13), já tem carro na pista. A bagaça começa as 22h30. O esquema de transmissão de TV é o mesmo dos últimos anos. Treinos Livres no Sportv, classificação e corrida na Globo. Mais tarde trago o link do streaming da SkySports F1, pra mim, a melhor cobertura da categoria.

A segunda chance e o triunfo de Sutil

Imagem

Enquanto todo mundo parava nos boxes para trocar o composto supermacio, o piloto alemão Adrian Sutil, da Force Índia, permanecia na pista ganhava posições. O alemão largou fechando a sexta fila, na 12ª posição do grid. Escolheu os pneus médios e aí deu o pulo do gato na corrida.

Adrian Sutil, o último a garantir uma vaga no grid da F1 2013 na Force Índia , liderou 11 voltas do GP da Austrália e, num certo momento nas redes sociais, pintou como postulante à vitória, o que seria a maior zebra dos últimos tempos. Em entrevista à revista alemã ‘Auto Motor und Sport’, declarou: “É surpreendente ver o quanto eu estava bem. Quando vi P1 na placa, foi emocionante”,

Mas na volta 43, o Sutil foi presa fácil para Kimi Raikkonen, que assumiu a liderança da corrida e dali não mais saiu. O alemão perdeu terreno quando calçou os supermacios, se arrastou e no final terminou na sétima posição.

A performance de Adrian Sutil nas ruas do Albert Park, em Melbourne, mostra que a Force Índia acertou em cheio ao promover seu retorno à F1. O alemão estava afastado por conta de uma agressão a Eric Lux, um dos cofundadores do grupo Genii, que tem participação na Lotus, na noite após o GP da China de 2011. O alemão é muito melhor que seu companheiro Paul di Resta e ainda tem muita lenha para queimar na categoria. Numa rara segunda chance na categoria, a F1 viu um retorno triunfal de um piloto no último domingo (17), em Melbourne.

“Habemus supresa”: Kimi Raikkonen vence na Austrália

Imagem

Vamos direto ao fato: a Lotus não tem o carro mais veloz do grid e, mesmo com a vitória em Melbourne, não acho que Kimi Raikkonen seja candidato ao título de pilotos em 2013. A estratégia adotada pela Lotus e bom ritmo do finlandês durante o GP foram essenciais para o resultado final. Vale lembrar que ele largou da sétima posição no grid. Mas daí apostar num título do finlandês… 

Diria que a vitória de Kimi Raikkonen foi uma grande e baita surpresa. Kimi voltou a Formula 1 no ano passado. Ficou ausente da categoria por dois anos e durante o período, se aventurou em corridas de Rallys e até na Nascar. Terminou a temporada passada na terceira posição, com uma Lotus que normalmente andava no meio do grid. Hoje, quase um ano depois de seu retorno, lidera o mundial de pilotos. Todos vibram!

Numa corrida cheia de alternativas, Kimi mostrou todo seu valor. Hora perecia não estar nem aí para o mundo. Noutra, mostrou que um campeonato mundial de pilotos não cai no colo de qualquer um. A baixa temperatura em Melbourne colaborou para seu desempenho. Kimi Raikkonen e a Lotus souberam trabalhar com os compostos que a Pirelli levou para Austrália: supermacios e Médios. O primeiro esfarelava a cada volta nos 5.303m de Albert Park –  Button trocou os supermacios na quarta volta! Após nove voltas com esse composto e mais dois stints de 24 e 25 voltas respectivamente com os compostos médios, o homem de gelo correu para o abraço. Ao final do GP, frio, respondeu para seu engenheiro: Temos um carro!

No dia de St. Patrick’s, Kimi Raikkonen se divertiu no pódio, deu uma generosa golada na sua champagne, brindou sua 20ª vitória na categoria e no próximo final de semana, vai para Sepang, na Malásia, como líder do campeonato. Resumindo: matou uma penca de bolões mundo afora. E você, aposta no Ice Man para o título de 2013?